Contacte-nos através do nosso email:
cethomar@hotmail.com

11/18/2008

Pentagrama na Torre da Igreja São João Baptista

Da mesma autoria do post anterior. Mais uma vez Obrigado! Um abraço.

Outra ocorrência do Pentagrama em Tomar

Embora haja mais casos, ainda mais esclarecedores, àcerca da carga simbólica subjacente a este esquema geométrico, que não nos atrevemos aqui a divulgar, aproveitamos a deixa anterior, para revelar outra ocorrência do Pentagrama, a qual poderá ter passado despercebida. Trata-se da pedra que, muito provavelmente, terá constituído o tímpano da antiga capela anterior à Igreja de S. João Baptista, agora embutida na Torre Sineira. O ângulo do vértice superior que encima a flor-de-lys (que é, na verdade, uma flor de ÍRIS=IRIA), é da ordem dos 108 graus. A coincidência é, certamente, significativa. Porquê, no entanto, esta predilecção por este signo, o pentágono estrelado? Grande segredo que importa descobrir...
Adiantamos ainda que, para nós, o animal que está representado à esquerda é um Leão, reconhecível pela juba que só no local é visível (constituída por pequenos ”V” invertidos, tratamento aliás idêntico a outras representações do mesmo animal, noutros locais e épocas), assim como, o da direita, é um Cão com uma Lebre na boca (devemos esta última interpretação ao nosso amigo Azul, cuja intuição nos pareceu genial, face aos caminhos que a mesma nos abre). Ao contrário de Maurice Guinguand, não lemos o motivo central, como sendo a constelação da Taça, mas é uma Taça, não temos dúvida nenhuma. A aproximação da Taça e da Flor-de-Lys, demonstra que ambos os símbolos são equivalentes e são-no efectivamente.

37 comentários:

InsideJob disse...

EU SOU UM CÉPTICO.

Pergunto:

Na arquitectura e na arte, há ou não uma fase preparatória?
A figura geométrica sem o carácter positivista que hoje lhe é incutido, é ou não um instrumento do homem desde a mais "tenra" antiguidade?

Conferir um equilíbrio às obras do homem corresponde, ou não, a um normal quesito de beleza?

Podia ainda fazer outras perguntas de retórica mas concluo:

Quando se "tenta" descobrir a figura geométrica que presidiu à elaboração de uma obra humana o que é que estamos a fazer? a reabilitar o processo criativo do autor ou a inferir propósitos ocultos?

que coisa!, acham que no séc X, XI e etc, não sabiam geometria?

Pronto já desabafei, porque às vezes estes desenhos "por cima" das coisas irritam-me....

scaliburis disse...

Subscrevo a tua opinião Insidejob.
Há alguns anos atrás, um velho professor, abordando comigo o tema da geometria sagrada que era vista por todo o lado e em todas as coisas, pelos estudiosos do esotérico e do oculto, mostrou-me um desenho onde se podia ver uma estrela de seis pontas.
Perdemo-nos em conjecturas e afundámo-nos na interpretação do simbolismo da figura.
Perguntei-lhe onde tinha adquirido aquele desenho e ele com um esboço de sorriso, tipo Mona Lisa, disse-me simplesmente:
-Foi o meu neto que anda na primária e o fez na aula geometria. Deu-lhe para desenhar dois triangulos um invertido sobre o outro. Tem jeito o puto!...

Velha raposa!

scaliburis disse...

Ha!... a propósito.
A pedra em questão não é um tímpano de igreja.
É o fecho trapezoidal de um túmulo e representa a fidelidade e a potência nas figuras de um Leão e de um Cão. Figuras que guardam algo muito potente representado na figura central.
O conjunto diz-nos apenas:
Aqui jaz um dos guardiões do Santo Graal

Anónimo disse...

Caro Insidejob

A geometria dos antigos, re-vela! Ao contrário das obras modernas (com algumas excepções, é claro), as intervenções artísticas (de carácter sagrado ou não), feitas de acordo com a Tradição, procuravam esconder saberes, cuja transmissão aos vindouros tinha de ser assegurada, sendo a via arquitectónica uma delas. Lembro-lhe que o nosso Almada Negreiros, dedicou particular atenção ao pentagrama, por exemplo na sua obra ‘Começar’. Se ele não significa mais nada do que simples traço, porque teria ele perdido tanto tempo com isso? Creia em mim, a figura do “Homem de Vitrúvio” encerra um segredo de capital importância. Descobri-lo, não requer qualquer preparação especial, mas exige estudo aprofundado das suas ocorrências. Comparando o que aqui ou ali, se nos mostra sobre o tema, rectificando sucessivamente, poderemos então perceber o seu verdadeiro significado. E para que serve isso tudo? Talvez eu o venha a saber, dentro de algum tempo. Assim eu seja digno disso.

Saudações cordiais.
Anónimo que concebeu os dois últimos posts.

Nota: Continue a ser céptico, sobretudo nos tempos que correm, uma vez que este tipo de assuntos, de carácter esotérico, nunca foi tão mal tratado como agora. Separar o trigo do joio torna-se, efectivamente, difícil. Prefiro mil vezes a abordagem científica, do que a parafernália de especulações sem sentido, que vemos expostas na maior parte das obras escritas do momento. Mas que a metafísica é real, lá isso é!

InsideJob disse...

Caro anónimo Iniciado, com esta resposta não pretendo contradizer nada do que disse atrás.
Antes gostaria de, primeiro, desejar bom desfecho dos seus trabalhos e seguidamente fazer notar a si e à comunidade do blog, que o meu desabafo para com estas apreciações geométricas não lhe retiram nenhuma da "força" que eles possam ter.

O conhecimento da proporção das coisas é, de facto, uma grande arte. Eis-nos na arquitectura, na música, na química e física e finalmente nas coisas naturais como o homem...

O que eu me encolerizo é ver TANTA postulação geométrica, às vezes verdadeiramente martelada. Lembro-me de uma muito escabrosa, que não tendo a ver propriamente com figuras geométricas tinha a ver com "alinhamentos" estelares:
Refiro-me a um paralelismo entre o Castelo de Tomar, dos Templários, e uma carrada de constelações... o engraçado é que o autor, acho que o do Ouro dos Templários, elege um generoso troço de muralha como sendo Templária para que o tal paralelismo fique completo.
Ora, esse tal troço de muralha, pelo menos, é do séc. XVIII, XIX!!!

Bom, também à volta da Janela do sala do capítulo, não vale a pena falar, não é?

Anónimo disse...

DEGRACONIS

Scaliburis, estou surpreendido com a sua constatação sobre a pedra que se afirma ser um tímpano de uma igreja anterior a São João Baptista e a que alguns documentos se referem como existente já no séc. XII. Dentro de alguns tempos iria dar notícias precisamente sobre essa pedra, mas vejo que talvez subscrevamos as mesmas ideias, não obstante ter eu algumas dúvidas. O que dá força a essa minha (e sua) ideia que partilha com o blog será o objecto de um post que irei solicitar ao blog para publicar nos próximos meses.

(A fidelidade como atributo iconográfico do cão, presumo eu. Não irei no blog por agora trocar ideia, mas se aparecer no jantar, ao qual espero poder comparecer, trocaremos ideias, se assim o desejar, como é obvio)

scaliburis disse...

Caro DEGRACONIS
Esta e outras pedras que se encontram espalhadas (e dissimuladas) por todo o país (e não só), serão as sobreviventes de toda uma simbologia da mensagem Templária que ao longo dos tempos, e ainda hoje, alguém se propôs apagar da face da terra.
Há trinta anos (e mais alguns) que tenho buscado estes vestígios e garanto-te que estão a desaparecer a um rítmo vertiginoso.
Se um dia destes alguém se lembrar de retirar essa pedra da base da torre sineira da igreja de S. João Baptista, para um qualquer museu, de certeza que irá desaparecer como desapareceram muitas outras.
Umas guardadas por verdadeiros guardiões, o que é bom, outras destruídas para sempre, por quem as teme ou odeia, o que é mau. Muito mau.
Ponha-se os olhos na história das intervenções em Santa Maria do Olival, ao longo dos tempos, e perceber-se-á o que quero dizer.

Anónimo disse...

Veremos sempre o Pentagrama onde quisermos vê-lo!!!

Anónimo disse...

Não é bem assim meus caros,se os senhores tem alguma cultura isoterica,vão ver as coisas de outra forma.



Já agora céptico não quer dizer que não acredite,as vezes temos que fingir que não acreditamos..

Quanto a Tomar,essa linda cidade acho que não passa de uma ilusão poís nada é o que parece:

castelo não é original do tempo dos Templários.
Nem a planta actual é verdadeira.

A charola não é Templária.Onde esta a charola Templária?????

St Maria já não tem nada do tempo dos Templários(tirando o Portico).

Convento de St Iria tem 400 anos,por isso nada tem haver com a ordem do Templo.

capela de nossa senhora da conceição,ninguem sabe porque foi feita.A Hístoria do panteão de D João III é falsa.

Os pelorinhos de Tomar estão em sitios difrentes do local de origem.

Acho que a actual cidade de Tomar é uma bela Hítoria de fadas,feita nos anos 40 ,de quando das obras de António Ferro feitas por esse país fora.
com isto não quero dizer que não tenha ficado pistas feitas nesses anos 40.


Uma pergunta deixo aqui no blog;

porque é que todas as placas que falam de Gualdim paes foram postas no castelo de Tomar?Segundo sei nenhuma se encontrava alí.
Porque foram levadas para alí?Sera que os castelo de Tomar ficava noutro sítio ????

Olhem que a pergunta não é assim tão parva.


Manuel S.

JOÃO disse...

Amigos
Em Primeiro lugar muito obrigado à pessoa que partilhou esse trabalho de pesquisa em S. João e St. Maria.
Gostaria de acrescentar que a pedra que está em S. João batista fica no local da antiga capela do mesmo Santo no Tempo da Ordem Templária.
Junto a esta pedra temos também uma esfinge,o curioso é que essa esfinge tem algo de Sumério,sabendo nós que os templários andaram pelo Oriente ,tudo leva a crer que foram eles que troceram esta imagem assim como a imagem da foto.
Acho que devemos olhar para estes dois pentagramas com olhos de ver,quem sabe se daqui não sai alguma resposta para o misterio de Tomar e da ordem Templária
Eu prório muito em breve vou colocar aqui no blog um trabalho feito por mim sobre Tomar do mesmo género.

Saudações Fraternas

InsideJob disse...

Eu estou pasmado!!!

Com que então Tomar é um "Portugal dos Pequeninos"??

Lá porque houve, documentadamente, mudança de uns pelourinhos e de umas placas onde o nome de Gualdim Paes está aposto, isso é razão para se considerar Tomar como uma construção do Estado Novo???

Por favor, em relação à Charola, falo eu:
Ela é Templária, não se deixe impressionar com as posteriores "decorações" dos períodos Infantino, Manuelino,Joaninos e Filipinos! Isso só demonstra a veneração que os monarcas tiveram para com o sítio.

Em vária documentação, até ao período manuelino, a charola é apelidade do oratório dos monges tempreiros (sic), isso atesta documentalmente a sua origem templária. As marcas de canteiro presentes em toda a construção podem ser comparadas a outras do mesmo período (sec XII), presentes noutros castelos templário da região e até, (trabalho por realizar) nalgumas partes do Castelo. Quanto à planta não ser verdadeira tem razão... ela está por completar: O trabalho de Lacerda Machado precisa de ser revisto.

Sobre os outros "inventos" de Tomar espero que haja quem os defenda...

JOÃO disse...

No caso de St Maria claro que é de origem Templária,basta ler tudo o que já foi escrito neste blog,basta ir ao local para ver e sentir.
Acho mesmo que tem mais coisas de origem Templária do que aquilo que se diz.
Meu Deus como se pode ter dúvidas.
Quanto à charola o insidejob já disse tudo.
ACHO QUE CHEGOU A ALTURA DE DEIXARAM DE BRINCAR COM THOMAR.

InsideJob disse...

ah!!! é verdade!!! o homem já foi à Lua, caro Manuel S..

Quer uma coisa "fabricada" vá à Regaleira... Não é um monumento, é a obra de uma pessoa que teve dinheiro para fazer as evocações que desejou.

A Ermida de Nossa Senhora da Imaculada Concepção (Conceição) padroeira de Portugal, é obra do periodo Joanino D.João III. Claro que foi arruinada algumas vezes mas foi "reerecta" como lá diz na placa...

Vá lá ver os Livros de Vitrúvio e diga-me que aquilo foi uma invenção do António Ferro!!!

Não estará a confundir Tomar com a exposição do Mundo Português???, lá prás marginais de Lisboa, onde, por acaso, figurou um tecto de madeira que tinha recentemente sido removido da Capela de N. Senhora dos Anjos da Charola de Tomar e que foi restaurado para essa mostra mundial????

Anónimo disse...

O InsideJob, no que respeita à Charola, defendeu bem a sua dama e tem toda a razão. Porventura pode dizer-nos onde se encontra, actualmente, esse tecto de madeira que menciona? Agradeço antecipadamente uma eventual resposta.
Lysardo

InsideJob disse...

que apurei encontra-se numa reserva lá do convento, após ter estado muitos anos no r/c das capelas incompletas exposto à humidade....

scaliburis disse...

e os painéis de tesselas romanas que estavam numa das salas do convento? De onde vieram? Do forum ou do castelo?

Rui Ferreira disse...

Olá pessoal

Os mosaicos romanos que estão no Convento são provenientes de S. Pedro de Caldelas, Vila Romana perto da actual Cem Soldos.

Rui Ferreira disse...

Quanto às "madeiras", ou melhor, o tecto da antiga capela da Charola, está na reserva embrulhado à espera de melhores dias. De facto o ijob tem razão, a peça esteve abandonada desde o tempo da Uamoc na parte coberta da sala do capítulo "incompleta". Se estivesse à chuva não teria sobrevivido. Hoje é importante porque nos atestará as dimensões (úteis)do interior da torre sineira antes das obras de betão armado.

João disse...

Caro RUI FERREIRA
Podia ser possível dizer aqui no blog onde esta o Crucifixo que estava no edificio do Capítulo novo.
Eu tirei uma foto com esse Crucifixo à coisa de 15 anos mas depoís desapareceu.

Rui Ferreira disse...

Claro..
Depois de ter sido intervencionado no IPT há verca de 10 anos, depois de lhe termos limpo o que resta da policromia e da caca de pombo e fixada a restante policromia foi colocado na reserva.

CURIOSAMENTE havia em reserva metade de uma base desse cruxifixo, que só foi reunida à peça porque o "tronco" do cruxifixo é ligeiramente pentagonal e não quadrangular...Bom, mas ficou-se apenas com metade! qual não é o espanto quando mais tarde, aquando das obras de regularização do pavimento na fachada sul, à horta dos frades, se encontra um pedaço de pedra meio trabalhado e ERA A OUTRA METADE!!!, ganda malha!!!

JOÃO disse...

Grande sorte.

Obrigado

Anónimo disse...

Cem Soldos, os templários viveram por lá? Olha que sim. Olha que sim.

Anónimo

Rui Ferreira disse...

Os Templários talvez, os Romanos de certeza e a Ordem de Cristo, de certeza. No lagar de Cem Soldos existe uma lápide muito "engraçada"!!!

JOÃO disse...

Cem Soldos bela terra (não é por ter nascido lá que falo tão bem dela ),mas pela sua Hístoria e suas gentes.

Junto ao lagar ficava o antigo cemitério da aldeia,não é "assim" senhor Rui Ferreira.

Rui Ferreira disse...

Isso é q eu já não sei.... só cá estou há 17 anos, mas posso indagar... refiro-me ao lagar que fica atrás da igreja!, será q aí ficava o cemitério???

Nuno Silva disse...

Relamente já reparei nessa estela à varios anos. Ainda contiunua no mesmo sitio?
Duvido que seja ai o antigo antigo cemiterio... alias pelo que sei de Cem Soldos, pertence á freguesia da Madalena, contudo havia uma aldeia muito mais antiga que se deve ter perdido com a desertificação no local... chamava-se Paúl... hoje apenas resta o nome "Vale Paúl". Alguem sabe se ainda se encontram vestigios no local? Sabem se este povoado era de origem romana ou posterior?
Cumprimentos Naturais

Rui Ferreira disse...

Olá
Estive aqui a conversar com gente da terra e de facto o cemitério antigo de Cem Soldos ficava (convenientemente) num pequeno cercado junto à Igreja da aldeia, mais concretamente na face norte dela. Nesse lugar existe hoje a casa paroquial que é um espaço com cerca de 30 X 10 metros+-

A igreja de S. Sebastião tem um portal lateral quinhentista e no seu "altar mor" nas laterais existem pinturas atribuídas a Gregório Lopes, o mesmo mestre da Charola do Convento de Cristo.

JOÃO disse...

Quanto ao Paúl de Cem Soldos existe uma confusão muito grande,pois à quem diga que ficava junto da Quinta da Anunciada ,mas segundo algumas pessoas ficava no local da ponte de Igreja,ficava a cerca de 1 km de S Pedro de Caldelas.
Quanto ao cemitério ,sim era mesmo junto da Igreja ainda me recordo em criança ver ossadas ali.

Nuno Silva disse...

Quanto ao cemitério desconheçia o seu local original... mas também faz sentido que assim seja. dai tenha vindo a tal estela que se falou anteriormente.
Referente ao estado da igreija o altar mor, pareçe estar numa desgraça e necessitado de uma intervenção urgente! As pinturas de Gregório Lopes (descoheçia) al como a porta lateral manuelina revelam a importância que nessa altura Cem Soldos tinha.
Mudando de assunto para Caldelas pensa-se que seja apenas uma villae romana, infelizmente não conheço, mas sei que havia ainda outras para esses lados tal como a concordia e a de São Silvestre ou de Payalvo, estou certo? Penso que o Paúl também seria romano... penso...

Até breve

JOÃO disse...

Caso alguem queira saber mais sobre Cem soldos e sua freguesia aconcelho a ler o Livro "Madalena;contributo para a História da freguesia .É um livro pequeno que quem quizer pode ler no S.C.O.C.C (clube) ou na Biblioteca de Tomar.
Quanto ao altar nem digo nada,hoje em dia é um perigo estar perto dele.O risco de ruir é total.

Rui Ferreira disse...

Olá pessoal

Em relação à "estela" que o Nuno descobriu nos meus escritos anteriores... onde falei numa lápide, trata-se de algo nada funerário: já não me lembro mas acho uma boa fotografar-se, é uma cruz da Ordem de Cristo de tipo filipino e com dois putti (acho eu) a segurar uma flãmula com o inevitável IN HOC SIGNUM VINCES !!!

Portanto, nada fúnebre!

scaliburis disse...

Que belo tema para um próximo tópico!
Venham essas fotos rapazes!

Rui Ferreira disse...

Pronto vou lá eu tirar uma chapa e depois dou ao Azul ou ao João....

Anónimo disse...

olá boa tarde,

será que alguem me pode ajudar a recolher informação acerca desta "pedra", com alguma urgencia?
nao consigo encontrar nada referente a mesma.

obrigada

cumprimentos

ana

Anónimo disse...

Naked art news [url=http://portal.prmag.com/_Lindsay-Lohan-nude-in-movie-34I-Know-Who-Killed-Me34/video/1218215/16633.html] naked[/url] .

Anónimo disse...

molto intiresno, grazie

Deus disse...

Béu!! Béu!! Arf! Arf! Arf!