Contacte-nos através do nosso email:
cethomar@hotmail.com

2/09/2007

O tesouro dos Templários em Tomar?

A representação simbólica que ornamenta uma das chaves de abóbada de uma sala do Covento de Cristo, que faz parte do Castelo de Tomar, é interpretada por Maurice Guinguand (O Ouro dos Templários: Gisors ou Tomar) como a representação de Hermes Trismegisto, considerado o fundador da alquimia. Esta poderá significar que esta «arte» era praticada no convento, o que também poderia ser testemunhado pela presença de um ovo alquímico que ainda pode ser visto na parte ocidental do castelo. Lembremos que na Idade Média e no Renascimento, a alquimia constituía uma verdadeira filososfia da matéria, cujos adeptos procuravam desvendar os mistérios da natureza. O aspecto misterioso que lhe é geralmente atribuído estava relacionado com a codificação da linguagem utilizada, uma vez que só era conhecida pelos iniciados.

Esta efígie de três rostos encontra-se junto ao refeitório do Convento de Cristo, bem oculta (e, actualmente, escondida dos visitantes), mas posicionada de tal forma que se fosse retirada, não só faria desabar o tecto, como todo o piso superior. Podemos encontrar exactamente a mesma cabeça esculpida na parte inferior de um pilar da Catedral de Sées, em França. Segundo M. Guinguand, estas duas esculturas indicam a localização do mesmo tesouro (o dos Templários), mas em duas épocas distintas.

Segundo ele, os bens preciosos da Ordem do Templo tinham sido reunidos e guardados em segurança em Sées, num local extremamente secreto que poderá estar relacionado com o poço que se encontra no interior da catedral. Quando Filipe, o Belo, decidiu prender os Templários, em 1307, Jacques de Molay, então Grão-Mestre da Ordem do Templo, teria confiado a um dos seus cavaleiros a missão de salvar o tesouro. Este é transportado para o Norte da França, onde o espera uma parte da frota templária, vinda de La Rochelle. O precioso carregamento é então transportado para Portugal, desembarcando no porto de Serra d'El Rei, próximo de Óbidos. A partir daí, o transporte até Tomar é feito sem quaisquer problemas.
Recentemente, especialistas internacionais quiseram conhecer o que existe no subsolo de Tomar, pois sabe-se que existem entradas, mas seladas, e, que noutros locais, os Templários construíram túneis com trinta metros por baixo da terra. Os especialistas recorreram ao Instituto de Geofísica e, graças aos métodos da geoelectricidade e do georradar, poderiam detectar as cavidades subterrâneas até 40 metros de profundidade, sem efectuar aberturas, sem tocar em nada e sem danificar nada. Mas o Ministério da Cultura português proibiu a pesquisas.

Na realidade, as lendas abundam: haverá algum tesouro escondido sob o Castelo de Tomar ou, até mesmo, o Quinto Evangelho, escrito pelo próprio Jesus Cristo?...

48 comentários:

ARCTURUS disse...

Só o penitente descobrira a verdade ,não percam a esperança .Já não falta tudo ,a meta esta mesmo a vossa frente ,mas cuidado o chão pode faltar.Não se esqueçam de uma coisa ,estão no fin de uma etapa ,não no fim do campeonato .Continuem
38-28-68

DEGRACONIS disse...

A PROPÓSITO DE UMA ASSINATURA: 515

Questionado sobre o motivo que tem levado a minha pessoa em alguns comentários a remata-los com o número 515, e como quem anda nestas andanças não dá nó sem ponta, passo a explicar.

Na verdade a única menção explicita que conhecemos do número 515 reporta-se à Divina Comédia de Dante, no seu último canto do Purgatório. Como deve ser do conhecimento geral Dante ( sec.XIII/XIV) compôs uma obra de aproximadamente 12.000 versos tendo sido a sua obra máxima e da própria literatura medieval.
Escrita em italiano, a obra é um poema narrativo rigorosamente simétrico e planeado que narra uma odisseia pelo Inferno, Purgatório e Paraíso, descrevendo cada etapa da viagem com detalhes quase visuais, sendo cada um desses locais constituído por nove círculos ( concêntricos).
Dante, o próprio personagem da história, é guiado pelo inferno e purgatório pelo poeta romano Virgílio, e no céu por Beatriz. O poema possui uma impressionante simetria matemática baseada no número três e em em mais algumas cifras numéricas, das quais 515 é a que mais tinta tem feito correr, tendo-se ao longo dos últimos séculos escrito infinitamente sobre a sua possível significação. Não cabe aqui alargar-me no tema, mas mais uma singelas frases para que se entenda o motivo que levou-me a utiliza-lo.
Beatriz, a iniciadora de Dante anuncia-lhe, no canto referido, a vinda próxima de uma “quinhentos e quinze”, o Messo di Dio (o enviado de Deus), que punirá a “ladra” e o gigante que peca com ela e restabelecerá sobre a terra a justiça, a paz e a tradição espiritual restituída na sua pureza.
Depois de saturados estudos sobre tal impressionante obra, na vertente do simbolismo numerológico, constata-se que existe uma relação estreita entre o número 515 e o 666, porque as profecias constantes na obra estão precisamente separadas por 515 ou 666 versos, alternadamente, ou seja, existiu uma intenção simbólica em relacionar estas duas cifras.
Dado que o número 666 é o número da besta o 515 será o do Paracleto, o Enviado de Deus, a incarnação do Imperador Universal que fará reinar sobre a Pax sobre toda a terra. Mas porquê 515? Essa questão ainda não está resolvida, o mistério persiste.
E perguntam agora os leitores que relacionamento tem esse número com Tomar. Ok… mais umas palavras para fazer a ponte.
Diz-nos, e mostra-nos, o Mestre Limas de Freitas, que se estabelecem relações muito precisas entre o misterioso 515 e as tradições pitagóricas das confrarias de construtores. Alias é um numero-assinatura, que permite, à semelhança do Argot ( já falei de tal noutro comentário ) transmitir e perpetuar uma mensagem.
O outro lado da ponte agora: Sobre o pórtico do convento de Tomar, coração do templarismo lusitano, podemos ler uma inscrição …. 515….

Nota de rodapé: No colóquio Os templários, o Espírito Santo e a Idade de Ouro decorrido em Tomar no ano de 1985, uma das comunicações foi precisamente “O 515 de Dante reaparece em Portugal”.

Anónimo disse...

Muito bem dito degraconis,não é por acaso que Portugal vira a ser a nova Jerusalem.Num tempo não muito distante.Será Tomar a capital ? dada as 7 colinas!Sendo todas as cidades com 7 colinas sagradas.comprimentos

JOÃO disse...

Gostaria de perguntar ao degraconis se o símbolo maçonico a entrada para o convento e que nin guem vé ,pois esta num sítio que passa despercebido,tera algo haver com o que acaba de dizer.Pax

Sarracenia purpurea disse...

Então, mas o Ministério da Cultura português não deixou fazer as pesquisas pk??? Parece-me é ser o ministério da ideotice...gastavam muito dinheiro se permitissem fazer essas pesquisas?? é isto que não entendo e revolta-me, não seria interessantíssimo ver se realmente existe lá alguma coisa como já se ouviu falar??? Azul, deixa-me dizer que este blog ta muito interessante :) Continua, beijinhos***

DEGRACONIS disse...

João não sei de que simbolo fala. Talvez o conheça mas não sei mesmo qual será.

JOÃO disse...

O símbolo que falo encontrasse na parede onde esta a porta que da entrada para a bilheteira do convento .Olhando de frente para a parede esta no canto superior direito,pode verse o compasso ,da criação do universso.saudações

JOÃO disse...

Minha cara Serracenia purpurea não é por causa do dinheiro,pois nem era o estado a pagar,á coisas que estão a cima do dinheiro o do proprio estado ,basta ver alguns comentarios neste blog.Quanto aos túneis eles existem!Uma pergunta acha que as pesquizas não foram feitas ??? Tenho as minhas duvidas!Thomar é uma caixa de supresas.Saudações.

DEGRACONIS disse...

João,

Calculo que o símbolo a que atribui a uma simbólica maçónica se localize junto a uma lápide transladada do castelo de Almourol para o convento que curiosamente na sua quinta linha refere a palavra Lucífer.

Não tenho presente tal imagem desse local, que não seja a lápide e a porta para a sacristia velha, actualmente bilheteira do convento.

Contudo talvez seja abusivo considerar esse símbolo, que só conheço pela sua descrição, como sendo maçónico, se considerarmos Maçonaria no seu sentido restrito ou institucional como o movimento que surge no Sec. XVIII, a julgar que tal símbolo seja anterior ao surgimento desta sociedade dita secreta.

Na verdade, o compasso, a par de uma outra série de instrumentos utilizados na arte da construção da idade média, são amiúde de vezes representados nos monumentos medievais, quer como referências a essa arte, quer como elementos simbólicos de uma tradição que encontra raízes na antiguidade clássica ou Egípcia. No caso da primeira vertente veja-se a representação em pedra no Mosteiro da Batalha do chamado arquitecto, que talvez assuma apenas a forma de lembrança para a “eternidade” dos mestres arquitectos responsáveis pelo monumento. Numa segunda vertente, a simbólica, lembro Platão que anunciava Deus como geômetra. Alias são imensas as representações, não só lavradas em pedra, mas na pintura também, de Deus como organizador espacial do universo, ideia essa posteriormente repuxada pela maçonaria para o seu conjunto de ritos e rituais.

Relativamente à eventual relação que possa existir entre esse compasso e o número 515, não posso de momento adivinhar um relacionamento directo que não seja por via da afinidade do tipo de símbolo, ou seja, ambos se situam possivelmente no campo da simbologia hermética, e a esse nível enquadram-se perfeitamente na linguagem secreta dos Mestres artesãos ou das Confrarias de Construtores. Veja-se as marcas de canteiro, tão usuais em qualquer monumento medieval, ou mesmo as marcas corporativas, mais raras mas existentes, em que notoriamente existe uma intencionalidade simbólica, seja esta esotérica ou não.

No entanto logo que volte a visitar o convento estarei atento em não esquecer de ver o que diz.

JOÃO disse...

degraconis
Com efeito o compasso a que me refiro encontrasse no local oposto a da lápide e está gravado no reboco,tendo meio metro de largura e outro tanto de comprimento,não tendo por isso mais de 100a150 anos .Está junto à esquina da parede no cima da mesma..Só um olho perspicaz da com ele!Porque terá sido posto ali ?Boa pergunta.Poderá ter sido gravado de quando das obras de reconstrução do claustro ,que fica por detrás dessa gravura,ou nas obras realizadas pelo Costa cabral,terá este sido maçom?
Vou agora fazer uma pergunta a todos e complicada ,onde terá morrido D.GUaldim paes,estára em St.Maria sepultado?Porque não à descrição do seu funeral,quando temos de outros como Lopo Fernandes.Como costuma dizer o azul hunnnn.comprimentos fraternos.

DEGRACONIS disse...

Efectivamente o Sr. António Bernardo da Costa Cabral, Primeiro Conde Tomar foi maçon.

Iniciou-se possívelmente na loja Emigração Regeneradora, donde foi expluso, ingressando posteriormente na loja União. É eleito grão-mestre a partir da data de 1841 no Grande Oriente Lusitano.

Sobre mais, logo que possa.

Anónimo disse...

ola!como espectador deste blog ,gostaria de fazer uma pergunta,a todos em especial e ao degraconis em particular visto conhecer muitos autores que escrevem sobre Templários,tenho uma coleção de livros sobre este tema,mas á um em particular que me chama a atenção pois tenho um livro de ele que é História dos templários em portugal,o autor é André j.Paraschi,será ele uma fonte segura sobre os templários portugueses?Outra pergunta que me dá qeu pensar,os nomes dos mestres templários de origem será aqueles que vem nos livros?obrigado.

DEGRACONIS disse...

Boa tarde ??? Lamento que não tenha um nome pelo qual possa tratar, a tal falta, terei que o tratar por Sr. Anónimo.

Sr. Anónimo, como já deve ter lido noutro comentário meu, o Paraschi foi o responsável pela restauração da Ordem do Templo em 1992 e empossado como grão-mestre da mesma. Não foi no entanto sob a bênção da Igreja de S.Pedro (católica ) mas sim pelo Papa e Patriarca da igreja Ortodoxa.

Dado que a Ordem dos Templários foi inicialmente, ainda antes do concilio de Troyes, agraciada pela igreja bizantina (ortodoxa) em Jerusalém, obtém deste modo legitimidade para a sua restauração.

Independentemente da sua legitimidade, foi um incansável estudioso da mesma, principalmente em Portugal, autor por essa via de um bom acervo documental, que infelizmente desapareceu de circulação.

À uns anos valentes, conheci uma senhora de nacionalidade russa, responsável pela tradução de Camões para essa língua que tal como eu, percorria nessa altura as diversas capelas do esoterismo, tendo o destino nos cruzado. Foi por ela que obtive opinião positiva ao seu trabalho de investigador.

Contudo, à parte dessa opinião, não posso eu próprio formar opinião credível ou sustentável, porque da obra dele apenas consegui obter o livro” Portugal Mágico dos Templários”. Mas a considerar as imensas citações do Paraschi que tenho visto noutros livros é a minha reflexão abonatória com respeito a esse senhor, ou Mestre, se preferir.

Supra citei que os livros dele estão fora de circulação; não foram reeditados, alias era ele quem os editava pela sua própria editora Sol Invictus, e possuo informação que após seu prematuro falecimento, a esposa os recolheu, pelo menos tal, na livraria Portugal, local onde eu à uns dez anos os desfolhava, sem poder contudo os adquirir. Fora de circulação também, porque quem os tem pelos vistos não se desfaz deles, porquanto raramente os vejo em alfarrabistas. Tudo isto infelizmente, porque estou ávido por os adquirir.

Segunda questão:

De vãs esperanças nutrem-se os nossos corações caninos na procura de certezas em relação aos nomes dos fundadores da ordem em Jerusalém. Tanto quanto me é sabido só existe como certo o nome de dois dos fundadores. Com a ordem do Templários houve problemas com a conservação de documentos históricos, ou se perderam ou se fizeram desaparecer. Mas sobre este assunto reduzido é este local para mais.

Averbando os nossos historiadores, são estes pouco coincidentes na fixação da lista dos Mestres Portugueses, que tanto colocam Gualdim Paes em primeiro como em sexto, ou, e não menos comum, em quarto. Se consultarem o livro “Portugal Templário” do José Manuel Capelo, que recomendo, podem comparar a disparidade que existem entre autores. Julgo que até Frei Bernardo da Costa em 1771 dar à estampa o seu livro, era comum considerar Gualdim Paes como o primeiro mestre português, mas o seu saturado estudo e recolha de documentos de escrituras e doações pelos diversos cartórios, aliado ao facto de ter remexido os arquivos da Ordem de Cristo, ainda existente à data, permitiu obter outras conclusões. O livro do Frei Bernardo da Costa intitula-se “História da Militar Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo” e é forte o argumento para a sua leitura obrigatória, se levarmos em conta que este era Freire Conventual e Cronista da Ordem de Cristo. Está em português antigo mas lê-se com facilidade. È precisamente neste livro que vem descrito as possíveis biografias dos Mestres em Portugal, recorrendo os autores modernos a ele.

Na esteira da polémica histórica e literária suscitada em torno da origem dos mestres, em termos de nacionalidades, dado que possui o livro do Paraschi sobre a história dos templários em Portugal, pode consulta-lo porque sei que ele debruça-se sobre tal, e se não me falha a memória Akashica, vejo que ele atribui a nacionalidade portuguesa a dois dos fundadores. ( mas atenção que esse livro do Paraschi é constituído por dois volumes).

E pronto, eram estas as minhas últimas palavras por hoje.

Nota de fim de texto:
Se porventura faz fé nos doutrinadores pseudo-históricos que apregoam que a Ordem dos Templários era a exteriorização de uma outra, seja essa o Priorado do Sião ou não, os nomes dos fundadores reais serão outros. E só teriam sido coincidentes em termos de comando até ao chamado “Corte do Ulmo”, em 1188, se não me falha a precisão de data, porque dai avante estaria a Ordem Templária desprovida desse núcleo interno.
Alerto, para os crentes nestas histórias, que os Templários tem sido para o esoterismo a grande “Prostituta” dos nossos dias, e como tal advirto o máximo cuidado para as vossas leituras.

Arcturus disse...

Olá meus caros amigos de blog,gostaria de fazer a seguinte equação linguistica!
TEMPLÁRIOS
TEMPL ÁR IOS
TEMPLO RÁ SOL
TEMPLO DO DEUS SOL
PODE SER DESPARATE ,MAS TODOS NOS SABEMOS QUE OS TEMPLÁRIOS ESTÃO LIGADOS AO EGIPTO.
38-28-68

Anónimo disse...

Eu acredito que o (tesouro)esteja em tomar,pois os reinos de Espanha não eram de fiar.A França era o que era,a Inglaterra estava em guerra civil,Italia estava dívidida,na Alemanha os Teutónicos eram uns assasinos,so podia estar no país criado por eles ,Portugal e cuja capital é e sempre será tomar.
Mas o concelho de tomar é tão grande,pode estar em qualquer lugar.Nos quando queremos esconder algo é no sitio onde os ladroes menos esperam ,ora no convento não é de certeza.......!!!!!!!

Anónimo disse...

Realmente é mesmo disparate. Fica a saber que Templários é um termo, de certa forma, moderno, e unicamente expressão da língua portuguesa e espanhola, que a saber, nem era o termo pelo qual eram conhecidos, mas sim Tempreiros.

Tenta aplicar o teu método aos seguintes termos:

Les Templiers ( Frances )
Knights Templar ( Ingles )
Tempreiros ( Portugues )
etc....

Realmente nós portugueses só olhamos para o nosso omphalos, ou melhor, nem dele saimos se continuarmos a fazer charadas dessa qualidade com as palvras.

Sobre o Egipto, cuidado, não exagerem... Tanto quanto as outras confrarias iniciáticas do ocidente.

Anónimo disse...

Ai esta o português no seu melhore,somos sempre os desgaçados da humanidade,somos grandes e grandes seremos,somos um país fundado por templários,criado e ainda hoje defendido por eles.Se não acreditam que fazer!!.SAbem tão pouco do que se passa debaixo dos vossos pés.È pena nos no estrageiro gostarmos mais do portugal que vosses ai,temos mais informação sobre portugal aqui que voces,mas com o controle que ai á e a falta de liberdade é tanta!!!

Anónimo disse...

PAPEIS ,PAPEIS E MAIS PAPEIS,LIVROS E MAIS LIVROS,NADA LEVA A LADO ALGUM,UNS FALAM ,OUTROS ESCREVEM MAS LÁ DENTRO NOS TÚNEIS NINGUEM FOI!!!(PORRA QUE SE ABRA OS TÚNEIS!!!!!!!!!!)SE NÃO FOR A BEM QUE SEJÁ A MAL!!JÁ TOU FARTA.SERÁ QUE NÃO Á HOMENS E MULHERES CAPAZES EM TOMAR DE O FAZER OU TEM DE VIR DE FORA!!!!

Anónimo disse...

O claustro do cemitério em tomar ,é um grande mistério,pois decobri,que o chão verdeadeiro está a 5 ou 6 metros abaixo do que lá está,porque foi aumentada a sua altura??para enterros dos frades!!!!!!não exitia outro sitio para cemitério!!!!Descobri ainda que no tempo da inquesição,os presos eram lançados para os subterranios!!!e que serviam de alimento a outros presos que lá estavam,que macabro não!

DEGRACONIS disse...

Por algum motivo tal claustro se chama claustro do cemitério, não? É evidente tratar-se do local onde se sepultavam os ditos, alias até pode ver a numeração inscrita nas pedras no chão, precisamente por uma questão de catalogação. Não só estão no chão como estão à vista alguns desses túmulos. Se consultar o livro Monarchia Lusitânia do sec.16 poderá lá encontrar referências a tal, relata-nos que os túmulos foram esculpidos em rocha, porque tal claustro assenta num grande bloco granítico. ( não tenho aqui o texto mas acho que se refere a isso mais ou menos nestas palavras).

Espero que a sua estupefacção esteja arrefecida. Nada de atípico se passa com essa sua descoberta de o chão estar levantado ou estarem ali indivíduos sepultados. Estude um pouco e veja que é recente a prática de construir cemitérios longe da povoação. Era mesmo ali ( ou na igreja ) que se enterravam as pessoas nos tempos antigos. (Solo sagrado).

Um caso flagrante de tal pratica é a Igreja de St Maria dos Olivais, tendo a igreja se tornado quase intransitável devido aos mausoléus lá instalados, porque devido à importância dos ilustres lá sepultados não se confinaram a um sepultamento térreo, mas sim construíram-se autênticos jazigos dignos de serem visitados, e dos quais ainda hoje se conhece a sua magnitude pela descrição que existe de alguns.

Já agora uma curiosidade: Ainda à aproximadamente 100 anos era possível ver o corpo que existe num dos túmulos do claustro do cemitério. Tratava-se de um corpo incorrupto, que foi levado para a Igreja de São J. Baptista, mas que entretanto regressou ao claustro. Existia um vidro que possibilitava olhar para dentro do túmulo. O túmulo ainda lá está mas já não é possível tal “espreitadela”.

Sobre o resto, no coments. Mas se quiser certificar-nos a sua afirmação, acho louvável.

Anónimo disse...

O relato que fiz foi tirado do livro de J.M.Sousa.Meu caro Degraconis,uma rocha granitica,quem a levou para lã???pois a zona de tomar é calcária e a base do castelo também o é.!!Cemiterio so depois do infante ,não!!!antes tenho as minhas duvidas.Ler so não chega á que sujar as mãos meu caro amigo.Quanto ao frade que está no convento e que veio de s.João ,convinha dizer que foi os franceses que o tiraram da tunba,á procura do tesouro.Por acaso tive a flecidade ou não de ainda ver o frade quase nu lá.Quanto aos tumulos de St Maria,cem ofença a sua inteligencia,de longe querer ofender a sua pessoa ,acha que os túmulos de St.Maria foram mesmo destruidos?????Não se esqueça que uma mentira tanta vez é contada que se torna numa verdade,não é assim meu caro!!

DEGRACONIS disse...

O tom sarcástico do seu comentário obriga-me a ripostar de imediato de forma a não deixar impune de resposta as suas convicções, e escasso é o meu tempo para verificações bibliográficas, que a meu ver é a única autoridade para lhe responder convenientemente. Tivesse eu acesso ao acervo documental, ou mesmo oral, que V.Exa tem e seria eu um homem feliz, contudo não têm essas fontes contribuído em nada porque nada se revela que possa corroborar essas suas convicções. Calculo que no próximo comentário dir-me-á que esses conhecimentos são reserva de alguns, dos eleitos porconseguinte.

Diz que cita, no seu comentário, J.M.Sousa, e julgo estar a referir-se ao suposto canibalismo que foi prática no Convento de Cristo durante o tempo da inquisição. Não vou demorar-me nesta questão porque fico à espera que informe-me em que página se encontra tal afirmação, porque sinceramente não me lembro de a ter lido nas noticias descritivas e históricas da cidade de Thomar do J.M.Sousa, e do meu conhecimento só um livro dele é conhecido, que terei que ir às caves buscar para ter o prazer de ler tal afirmação hedionda. Atenção que não estou a pôr em causa o que afirma, mas gostaria de confirmar e contextualizar-me no texto.

Sobre questões de mineralogia adianto-lhe que de expert no assunto tenho pouco, e de memória igual, pois, e como disse anteriormente citei de memória autor antigo de obra de milhares de páginas, contudo serve-me de consolo saber onde encontrar tal parte da obra para lhe transcrever aqui de forma a corrigir a minha falha teutónica em relação ao granito.

“sepulturas abertas em rocha viva, porque todo o pavimento é penhasco” ( Frei Bernardo da Costa, 1771 )

Nem é preciso esventrar muito o assunto porque é fácil verificar a olho nu, sem grandes conhecimentos de geologia ou topografia, que toda aquela parte, inclusive a Charola, assenta sobre uma elevação rochosa do terreno.

Calcular que o piso actual (ou da época) está superior ao solo rochoso é normal porque inevitavelmente foi preciso nivelar o chão a determinada quota de forma a conseguirem construir o claustro sem desníveis incómodos. Um género de criptopórtico julgo eu. Para o claustro da Lavagem a solução foi outra, a de construção de dois patamares.

Não entendo a dúvida em relação ao cemitério, e se no seu primeiro comentário deverás estranhei não associar o nome do claustro à sua função, de cemitério, mais estranho, já seu expressar um ar estupefacto, que anteveja, porque ninguém antes viu, mistério.

Sim, cemitério após o IHS, porque até essa época os serventuários do convento eram sepultados ou na ermida de Santa Catarina , situada à esquerda da entrada do castelo, passada a porta do sol, ou no terreiro do que veio a ser a igreja Manuelina . O claustro tornava-se assim complementar do tradicional panteão dos grãos mestres das ordens do Templo e de Cristo que era onde todos nós sabemos.

Até essa altura de reformulação dos espaços conventuais servia esse local de serventia a outras necessidades. Mas sobre isso nem vale a pena agora falar.

Em respeito aos túmulos de Santa Maria do Olival, só me resta perguntar-lhe uma coisa: Se não foram destruídos, e sabe-se que se situavam no piso térreo e não em cripta, porque não os vemos quando visitamos a igreja? Até lhe acrescento informação adicional, existia ainda até relativamente pouco tempo ( 200 anos talvez ) uns grandes mausoléus ou jazigos logo após descer as escadas, que tiveram que ser removidos porque dificultavam a prática liturgica, e já não é obra do freire António de Lisboa, que tanto horror ou desrespeito tinha para com a ordem. Acha que ele se importou em os transladar para outro local, senão apenas em encarcerar as inúmeras ossadas na segunda capela da igreja?

Da discussão nasce a luz, e julgo que este esbarrar de opiniões será fortuito para o avanço da busca das verdades graalisticas.

Se estou errado e iludido agradeço que exponha os argumentos que o levam a pensar em contrário.

Ps: No anterior comentário falei na Monarchia Lusitana, esqueça, a obra é outra.
Anónimo?? Arranje um nome sff, seria conveniente senão não sabemos que é quem, a menos que já tenha e não o queira revelar.

Anónimo disse...

A minha identidade? Anonymous é tão boa identidade como a sua, Degraconis, cuja verborreia contamina constantemente este blog e que, na maior parte das vezes, em nada contribui para o esclarecimento das questões levantadas, antes pelo contrario, contribui sim, e significativamente, para o obscurantismo geral das mesmas. Obscurantismo que tanto convém a quem, no fundo, pouco ou nada sabe.
Saia da sua concha e avance com um nome. E então eu também avançarei com um e com um numero de bilhete de identidade e com um numero de contribuinte se for preciso. Deixe de ser hipocrita, não lhe fica bem.

Anónimo disse...

meu caro amigo é feio mensmo muito feio,escrever uma coisa como o que escreveu,o anonimo sou eu meu caro,é feio responder pelos outros,eu não ofendi o degraconis,nem ele a mim.Meu caro se não sabe o que diz que se cale.Quem esta dentro destes assuntos sabe aquilo que diz.Nos se não sabemos ou precebemos ou não concordamos é melhore calar ,sabe o direto de expreção ainda é tulerado,estamos em democracia.NÃO RESPONDA POR OUTROS É FEIO.AINDA POR CIMA NO DIA DE HOJE TÃO ESPECIAL PARA TOMAR.

JOÂO disse...

lá estamos nos a ir por caminhos que não levam a lugar algum.Assim não!!!Meus amigos é no confronto de ideias que se descobre as verdades do tema,não no confronto de palavras .Já estou a ficar farto ,isto é um blog sobre hístoria ,não é uma revista cor de rosa ,em que todos dizem mal de todos.

Anónimo disse...

Meu caro degraconis ,voltando ao que intressa,quando falo do chão de St Maria ,tenho as minhas dúvidas ,pois acho que o chão está subre posto ao outro,ficando assim dois pisos.Olhe que tem logica!!!

Bugalho

DEGRACONIS disse...

Vou imiscuir-me de responder-lhe no mesmo tom que utilizou no seu post, autentico terrorismo contra o meu contributo neste blog, diga-se de passagem. Mas sobre isso mais adiante.

Da identidade apenas pedi-lhe que se identificasse com um nick que possibilitasse reconhecer os seus comentários, de forma a distinguir as diversas linhas de pensamento de cada participante. Alias já tinha apelado para tal a um outro anonymous, que porventura talvez seja você mesmo, mas sabe-lo não saberei porque anonymous. Tão simples quanto isto. Enfim…..

A democratização de espaços como este dá asso a excessos expressivos incontroláveis, reflexos de uma frustração aguda na procura de respostas, pois o pressuposto básico que perpassa todo o seu desabafo é sintomático em relação a tal, sinaliza igualmente o abandono do bom senso, porque se tivesse o cuidado de ler as questões levantadas concluiria que, e excepção se faça à minha pessoa, ninguém lhe dá qualquer tipo de resposta que faça luz ao obscurantismo que alude, e somente me resta concluir que toda a minha “verborreia” não lhe fará qualquer proveito porque representa uma ruptura com a sua metafísica templária que possivelmente só vê uma resposta às questões levantadas, a própria pergunta.

Toda e qualquer tentativa de resposta que tento, gorada a seu ver, é consubstanciada na documentação disponível mas dispersa, e da minha parte apenas tem a dispensa da “dispersa”, pelo que pode V.exa se fazer valer dela para balizar as suas convicções.
Extremosa foi a forma como se exprimiu no seu post, extremada vai ser a minha atitude para com o Blog. Darei oportunidade a todos os outros de lhe dar respostas mais consentâneas sobre as questões levantadas, até porque entendo que sou demasiado Aristotélico nas minhas abordagens. Que venham os Platónicos, mas com respostas e argumentos.

PS: Como não entendo quem é quem e sou acreditar que por vezes trata-se sempre das mesmas pessoas, dirijo o meu comentário a quem o entenda como destinatário.

Cordiais saudações
Hasta la vista

Nota de rodapé: Sobre o canibalismo já li no livro. Sobre os dois pisos da igreja espero desenvolvimentos. Um dia virei ver se existe novidades.

Nota de fim: No dia em que a vossa posição cambiar para uma aproximação mais positivista das coisas, garanto-vos que assumirei eu próprio o vosso papel. Provar-vos-ei que existem mistérios por revelar mas ate lá a esfinge são vocês. Serei sempre a imagem oposta que permite a existência do que quer que seja. E se não compreendem isso, paciência porque já cá não estarei. Desculpa a todos os que possam estar a levar por tabela por este incidente lamentável.

JOÃO disse...

Meu caro degraconis ,em primeiro lugar venho pedir mais uma vez que reconcidere aquela vontade de sair do blog,espero que não se deixe levar por metáforas sem sentido e ao bogalho tambem faço o mensmo pedido ,temos de ser fortes ninguem disse que o caminho ia ser facil ,temos de fontes seguras que o nosso blog esta a fazer algum estrago entre velhos do restelo que querem a força que o tema templários fique na gaveta.Como diz José Medeiros á que travar este justo combate pelo bem da verdade .Meu caro degraconis pelo que sei de vos ,ambos ademiramos o Dr António Augusto Carvalho Monteiro ,sabe do que estou a falar,pois bem tenho uma teoria sobre tal sítio que gostaria de expor no blog.tratasse da planta de tal residência e do espaço em seu redor! não faz lembrar nada??a resposta deixo para depois de dia (10) ou 12 essa data tão importante para tomar e os templários.Só mais uma coisa meus amigos no fim de cada comentário deixem ou menos um nome para não ficar tudo tão anonimo.Comprimentos fraternos a todos

TEMPLÁRIO disse...

OLA, DEI UMA OLHADELA NESTE BLOG E DEVO DIZER QUE ESTOU IMPRESSIONADO TANTO PELA FORÇA DA DISCUSÃO COMO VEJO HAVER GRANDES DEFENSORES DE DUAS REALIDADES OPOSTAS.

POR ESTA RAZÃO RESOLVI, SE ME PERMITEM, ENTRAR NA DISCUSÃO.

EM PRIMEIRO LUGAR QUERO DIZER AO ARCTURUS QUE NO CASO DA EQUAÇÃO LINGUISTICA É UM EXELENTE EXEMPLO DO DITADO " POR VEZES A MENTE VE AQUILO Q QUEREMOS VER" POIS NAO TEM QUALQUER RELAÇÃO E NOTA-SE BEM UM ENCAIXE FORÇADO DAS PALAVRAS.

QUANTO AOS ANONIMOS DEVO DIZER QUE PARA BEM DA FLUIDEZ E INTERPRETAÇÃO DAS IDEIAS QUE VAO SENDO ESBOÇADAS AQUI ARRAJEM NICKS DIFERENTES E RESPEITEM OS EXISTENTES.

QUANTO AOS DIFERENDOS SOU DA OPINIAO DO JOAO POIS AS COISAS DEVEM SER MODERADAS.
SAO SÓ IDEIAS, NAO VALEM UM SENTIMENTO DE MAU ESTAR.

QUANTO Á QUESTAO POSTA PELO VERDADEIRO (PENSO EU) ANONYMOUS Á CERCA DO CHAO DA IGREJA DEVO DIZER QUE NO MEU VER PAREÇE-ME QUE O CHAO FOI REBAIXADO E NAO SUBREPOSTO.
TAL SE CONFIRMA NOS RESTOS DE PAVIMENTO QUE SE ENCONTRAM JUNTOÁOS PILARES.
NO ENTANTO NOA POSSO FALAR DO Q NAO VEJO E O SUBSOLO DA IGREJA É COISA QUE NAO CONSIGO VER POR ISSO DEIXO EM ABERTO.

FIQUEI SURPREENDIDO POR JOAO DIZER QUE DIA 10 OU DIA 12 SEREM DIAS IMPORTANTES PARA TOMAR!? PORQUE?
NAO CONHEÇO NADA DE IMPORTANTE NESSAS DATAS!

PEÇO UM ESCLARECIMENTO

ATENCIOSAMENTE

TEMPLÁRIO

JOÃO disse...

Meu caro templário se ler os comentarios existentes neste blog,vai preceber o porque destas datas!Ou vai ter uma ideia!!

Anónimo disse...

Ao senhor Bugalho, que creio ser o primeiro anónimo, apenas tenho a dizer que jamais tive intenção de passar por ele, pois se o quisesse fazer ter-me-ia limitado a escrever mal ou então teria pedido a um dos meus netos, de 7 e 8 anos respectivamente, que escrevesse por mim. Como tal não aconteceu creio que passou de um mal entendido pois foi apenas minha intenção fazer notar que anonymous é tão bom nome como degraconis pois ambos dizem o mesmo acerca da pessoa: nada.
Quanto ao suposto lesado (leia-se Sr. Degraconis) tenho apenas a dizer que que mais uma vez se comportou como uma criança mimada ao ter visto os seus pontos de vista ameaçados pelas minhas palavras. Primeiro atreveu-se a compará-las a um ataque terrorista, depois questiona a democratização deste espaço e das ideias de cada um e, no fim, ameaça com o abandono. Lamento dizê-lo caro Degraconis que tais atitudes não se parecem coadunar com a tamanha sapiência que adora exibir para poder adornar o mito em torno da sua pessoa. Lamento dizê-lo mas desilude-me. Pensava-o mais inteligente. E o meu primeiro comentário foi mais um de desafio do que de ofensa mas pelos vistos acertei no seu ponto sensivel e, provavelmente, na verdade.
Aqui me despeço com as mais cordiais saudações.


Velho do Restelo

DEGRACONIS disse...

Vou ser curto e grosso para ver se entende a minha atitude mimada e espero que trave os seus comentários despropositados, porque por mim já estava de assunto encerrado.

a) Ofende-se gravemente V.Exa. com o facto de lhe solicitar a utilização de uma identificação, chegando ao ponto de sugerir colocar-mos as nossas identificações em cima da “mesa”. Qualquer semelhança com um duelo clássico deve ser pura coincidência, presumo eu.
b) Utiliza palavras ofensivas. A saber, verborreia, que julgo ser capaz de etimologicamente a decompor e perceber perfeitamente.
c) Expressa a sua opinião, e é legitimo fazê-lo, mas a adjectiva de forma pouco educada ( verborreia ).
d) Diz-me que sou hipócrita. Acredito que os meus anteriores comentários possam não ter sido muito simpáticos, mas nunca me excedi nas palavras ou na forma como expressei, sempre o fiz dentro da boa educação.

Se a isto tudo se pode chamar desafio, peço perdão, mas a minha inteligência não se igual a sua, porque não vejo nada que não seja apenas “desaforo”

Agora no seu último comentário, prossegue com o mesmo estilo, quer apelidando-me de mimado, quer, ironicamente, se reflectindo à minha inteligência.

Mais ainda, acusa os participantes de escrever tão bem (ou tão mal) como os seus netos. Mas esse assunto ultrapassa-me.

Por favor contenha-se e ao invés de se limitar a este tipo de comentário tente contribuir com algo de positivo, porque pelo que consigo perceber, dado ser anonymous, com poucos ou nenhuns comentários presenteou o blog. (digo isto porque pelo seu tipo de escrita não vejo mais comentários a não ser estes lamentáveis comentários)

De mitos fala V.Exa. e não entendo porque. Não procuro criar qualquer tipo de mito à volta da minha personagem e nada ou pouco digo que possa contribuir para tal. Se tivesse pretensões disso não tinha aceite o convite para o jantar que querem organizar, e limitava-me a escrever no blog. E como seria fácil de criar o mito, mas tenho sempre tentado limitar o meu raio de escrita a elementos factuais e pouco conjuro sobre conhecimentos que detenha e que não ouse partilhar. Sinceramente não o entendo e sou a crer que você é que desenhou um mito à minha volta, você, porque julgo que mais ninguém o fez. Sou tão ignorante nos mistérios como todo o comum mortal, já o disse e volto a dizer. Não sou elemento de qualquer grupo secreto ( ou discreto ) nem detentor de chaves de ouro. Sou tão simples como os demais, e quem quer ver mais do que isso em mim, é porque é fantasioso. Apareça no jantar e verificará isso com os seus olhos, mas vá bem disposto…

PS: Nem sei porque me dou ao trabalho…

CM disse...

Ola pessoal! Como ja referi o meu comentario deixado na 1 caixa de comentarios do blog espero que o joao e o azul se imponham.
Agora quanto a coisas que realmente interessam vou deixar hoje uma novidade para quem procura a verdade. (ate rima lol)
Foi feito uma prospecçao com uma sonda á pouco tempo na igreja de Sta Maria do olival da qual nao apresentou indicios da existencia de algo mais do que tumulo por debaixo do templo, no entanto deve-se realçar que foram realmente encontrados tumulos nas zonas das lapides.
Foi tambem encontrado uma pedra que nao é pedra mas sim ao que pareçe uma escoria metálica, pelos visto foi a unica encontrada e segundo peritos nao é uma zona rica em ferro. Pena isso podia explicar o forte magnetismo daquele templo. para quem nao sabe escoria metálica é o termo usado pelso arqueolos para restos metálicos que podem provir da açao humana e indicar a existencia de uma fundição naquela zona. Mas ainda esta tudo muito fresco e vao ser alvo de analises mais profundas.
quando possuir mais informações apareço.
Ate la um grande abraço ao pessoal

DEGRACONIS disse...

Parabens CM.
Algo realmente contrutivo.

DEGRACONIS disse...

CM já agora podes ficar a saber que da última vez que estive em St Maria, eu e um amigo meu, ficámos todo o dia cheios de electricidade estática. Nunca tal me tinha acontecido por ai. Ainda pensei que tivesse sido por de ter passado a tarde toda no convento, nas suas cavas e subterrâneos, mas pelos vistos pode ter sido na igreja, à qual fui logo de manhã.

JOÃO disse...

Será que lá não estava mais alguem com essa electricidade estática????Aquele templo é como de fosse uma antena,capta energias da terra ,ar água,so faltou o fogo.Abraços

Sara disse...

A propósito da escória...
Achei muito interessante o facto de ser ter encontrado escória num local de fraco ou nulo potencial ao nível de minério no subsolo. Sem ter conhecimento suficiente de campo nesse local, nem do tipo de sondagem feita, proponho-me, contudo, a levantar algumas hipóteses com bases em paralelismos, que se forem úteis para a interpretação da ocorrencia já me deixa bastante satisfeita...
1º se se tratou de um prospeção geofísica pode conter algumas lacunas, nomeadamente por não se tratar de escória de fundição mas sim de um bloco ou lage em ménério, ou qualquer outro objecto votivo ou simplesmente decorativo, dependendo das dimensões como é obvio;
2º no caso de ter sido uma sondagem geológica por amostragem relohida por tubos que perfuram o solo e recolhem amostras da estratigrafia do local e aí sim, uma vez que temos a amostra e se trata realmente de escória, é importante, antes de mais, aferir as dimensões do achado para poder decifrar se se trata de uma liga para dar consistência a nível contrutivo. Não esqueçamos que os templos de devoção mais antigos apresentam vários níveis de construção sendo os mais antigos reabilitados para serem utilizados numa relação de contemporaneidade, para os mais diversos fins;
3º pode ainda ter sido lá colocada como reaproveitamento para enchimento do piso, como entulho. Os restos de escória utilizada na constrição foi simplesmente atirada para lá a fim de servir de entulho para posterior colocação do pavimento;
4ºpode também estar a selar um nível e, neste caso é da maior importância pq por baixo desta existirá, ou não, um nível de relevante interesse uma vez que se encontra selado em sem qualquer acção humana que tenha causado revolvimento ou destrutiva.
O exposto, como é claro são meras especulações. Não conheço o local (embora pretenda preencher essa lacuna mto em breve)nem mesmo o potencial estratigráfico.
Espero ter sido útil
Até breve
SARA

cm disse...

ola sara, o pedaço de escoria foi encontrado ao acaso pelo guarda da igreja aquando das obras para a implatação dos esgotos localizada na parte de tras da igreja de sta maria.

segundo varias opinioes de geologos, arqueologos e quimicos trata-se sim de escoria metálica o que pode indicar a presença de uma fundição no entanto é pena nao possuirmos informação util sobre se haberia vestigios de ceramica por perto. ai sim indicaria qualquer coisa.
neste caso pode ate nem indicar nada sao escassas as informações, foi so aquele pedaço que foi encontrado e ao que pareçe era o unico.

quanto as dimensoes e forma é bastante irregular e tera á volta de 10cm x 5cm

é bastante pesado ao ponto de poder conter chumbo.

tou a ver que nao és de Tomar!?
nao me importava de to mostrar ate pq seria mais uma opiniao valida.

se quiseres entrar em contacto cmg para observar o objecto o meu mail é claudio_in@hotmail.com

ficava-te grato pois toda a ajuda é bem vinda.

ate breve

Anónimo disse...

Com que então fizeram uma pesquisa na igreja do olival com scaner humm!!!
Se não estiver errado o resultado deve de ser igual ao de 1995 ,ou seja deram com uma entrada ,ossos ,varios camadas de terra e uma pequena galeria .
Já agora posso dizer que o mesmo foi feito em outras igrejas e também no convento, terei todo o gosto em me informar no ippar sobre esta nova prospecção na igreja do olival,pois quero ver se o resultado é o mesmo!
Visto que a vossa caça ao tesouro continua ,quero dar uma achega, como sabem Costa cabral fez pesquisas em tomar e já na altura nada encontrou ,pois muito do que lá estava guardado foi levado por Felipe I para Espanha,entre as muitas coisas que levou posso adientar que era a famosa biblioteca templária.Onde estará neste momento é um grande enigma.
Quando forem a capital espanhola visitem a biblioteca real,pois podem ter muitas surpresas.
Mais uma achega a este tema ,no ano de 1935,sé a memoria não me engana ,vários cientistas fizeram pesquisas no convento,ai descobriram muitos achados arqueológicos,achados estes que foram levados para fora de portugal.Para finalizar digo-vos que se mais não esta a vista é para segurança das pessoas,pois o risco de alguma infrastrutura ruir era grande,como é o caso da charola que foi necessário reforçar ,não há aqui um complô para esconder algo!

Abraço
Luis Enigma

Francisco do Ó disse...

Apercebendo-me do muito conhecimento que tendes acerca dos Templários, solicito e muito agradeço que comentem o que a seguir exponho.

Estando em baixo o que está em cima, sob a Via Láctea, os Templários fizeram as suas edificações, os seus castelos, as suas obras. Este efeito de espelho é preciso num determinado dia do ano, precisamente em dia de S. João Baptista. Tendo como origem a primeira construção em França e passando por Tomar, as construções são interrompidas. A continuidade da projecção da Via Láctea leva-nos a atravessar o Atlantico ao Brasil e ao Estado de Minas Gerais, localização de veios auríferos.
A questão para a qual peço esclarecimento reside na possibilidade de esvaziar as motivações que habitualmente atribuímos à Epopeia do Descobrimentos e consideramos como verdade histórica o plano preparado pelos Templários comunicado à Ordem de Cristo no propósito de chegar ao estado de Minas Gerais.O achamento do Brasil ( quem acha já conhece ) não foi totalmente conhecido. As riquezas dos Templários que teimamos em achar algures em algum sítio deste Portugraal poderão ter servido à Ordem de Cristo para investir na ideia? D. Diniz ao mandar plantar os pinhais de Leiria já sabia da necessidade da construção naval?Há mais coincidências que reforçam esta teoria.O que se vos oferece dizer?
Agradecido

Anónimo disse...

Epa só uma mente doentia acha que o tesouro templario esta em tomar, o ouro foi todo gasto na expanção,tava lá a espera do pessoal de hoje fosse lá buscalo não!!tou de acordo com vossa senhoria.Quanto as reliquias teremos de ir ao Brasil ou E.U.A.A mais de 40 anos que estudo este tema e chego sempre a mesma conclusão em tomar esteve algo mas que a mais de 6oo anos foi levado de cá para as americas.Podera com a igreja a tras dessas reliquias.Eu em Portugal já deixei de pesquisar,em breve vou ao brasil quem sabe se lá encontro o graal!!


Anibal

orion disse...

Olá!

Passarei por cá mais vezes se os autores deste blog continuarem a divulgar as práticas culturais e populares ligadas ás tradições templárias - como o fizeram no "Aleluia em Cem Soldos".

Non nobis
Orion

P.s. O tema da biblioteca dos Templários é bastante pertinente. Alguém tem mais informações sobre esta matéria?

orion disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
djane disse...

(Djane) ...ola como vão todos!!!
me desculpem a intromissão neste local onde vejo ser de grande valor de aprendizado meu que me considero uma mera expectadora diante de tantas informações muitas das quais ainda não sabia (confesso)... Mas desde ja acredito que exista sim algo maior que todos tanto procura né verdade...
Não sou maçonica, sou apenas uma grande fã da história dos templarios se assim me permitem dizer ok.
gostaria muito de estar com vcs na busca pela verdade digamos assim.
obg desde ja e espero aqui algum contato
Abraços
atenciosamente caros amigos
djane rocha

roger disse...

Boa tarde a todos,

Os templários podem ter trazido o tesouro, ou tesouros para Portugal, mas não acredito que até aos dias de hoje o mesmo esteja enterrado algures em Tomar.
Tem toda a lógica que eles tenham transportado o tesouro para cá, basta ver as boas relações que D. Dinis tinha com a ordem. Eles em Portugal tinham um rei amigo.
Não me parece lógico que o tesouro ainda lá esteja pelas seguintes razões:

1. O mais provável é que tenha sido gasto na época dos descobrimentos. Não nos podemos esquecer que fomos uma potência mundial, e estavamos dotados dos melhores equipamentos nauticos e maritimos. Tambêm não podemos ignorar que a construção das caravelas custava dinheiro, e muitas delas eram destruidas pelas tempestades nos mares por donde navegavam, perdendo-se tambêm os materiais que nelas estavam.

2. Pode muito bem ter passado que muitos desses tesouros tenham sido trocados pelas riquezas que os portugueses traziam das indias, não estou a ver o que poderiamos ter dado em troca para trazer todas as especiarias do oriente.

3. Outra possibilidade é o tesouro ter ido parar a Espanha, partindo do principio que em 1580 o tesouro ainda existia e estava em Tomar, os espanhóis tiveram 60 anos para retirar de lá o tesouro.

4. Pode tambêm ter acontecido que o tesouro tenha em algum momento, no principio do século XIV, ter sido ameaçado e ter sido transportado secretamente para o Brasil. É sabido que antes de 1500 já tinhamos descoberto essas terras, mas mantivemos em segredo. Possivelmente para não atrair gente indesejada que pudesse comprometer a localização do tesouro. por algum motivo o rei D. João II fez tanta questão de negociar e alterar o tratado de Tordesillhas de modo a comtemplar o Brasil como uma terra dos portugueses.

De qualquer forma estou a falar de um tesouro, ou seja, peças em ouro, que é aquilo que ,uitos pensam ser o tesouro.
Mas sabemos que outros tesouros, faziam parte do TESOURO, livros, pergaminhos e até o santo graal e a coroa de espinhos de Jesus, inclusive segredos que podiam mudar o Cristianismo. E estes "tesouros" não seriam trocados nas indias nem serviriam para consruir caravelas.

O ouro, se é que ele existe, não me preocupa porque já deve de ter tido muitos caminhos.

O que temos que centrar a nossa atenção é nos documentos, nos livros, e se é que existe no graal e nos tais segredos que podem mudar o Cristianismo.
E estes segredos devem de estar em algum lado. Oxalá estejam enterrados em Tomar e que um dia possam ser descobertos. Que prestigio para o País se isso fosse assim.

Um ultimo comentário: O governo deveria e tinha obrigação de fazer tudo o que está ao seu alcande para dismistificar esta situação. Não pode ignorar e desprezar estes factos.
nunca tivemos um governo que se preocupasse em provar que Colon era Português e que foram o navegadores portugueses que descobriram a Austrália 200 anos antes dos ingleses.

Desde Afonso Henriques até ao dia de hoje, poucos foram os lideres deste país, que prestigiaram o mesmo e izeram algo de grandioso por ele.

Anónimo disse...

Dono...

Meus caros amigos, parabens por estas explicaçoes, mas a minha intuiçao passa por outras barreiras...
Eu explico, e espero que me compreendam:
A rota de passagem dos Templários, antes da chegada a portugal, foi muito longa, mas no mesmo foram acolhidos em portugal devido a uma forte ligação de aliados para expulsar quem o Rei não queria, até aqui todos compreendemos...
Um tesouro, e como foi citado antes, não acolhe só peças de ouriversaria, porque as tais se foram descobertas ja andarão por outros caminhos desconhecidos, mas qual foi a primeira terra em que os templarios pisaram em portugal?
Aqui esta uma grande pergunta... Tive a ocasião de visitar o castelo de Castro Marim, onde por perplexo que fiquei, a mesma imagem dos tres rostos estar gravada, não no castelo, mas sim no forte que se situa mesmo do outro lado do monte, unidos por uma galeria subterranea, hoje em dia bastante danificada,na entrada desta galeria a mesma imagem esta gravada,e mais imagens que naquele tempo,não fazia sentido, para quem não se interessava em historia.
Não esuqecendo a história do castelo de castro marim onde passaram varios reis e a qual ate foi capital de portugal por 1 dia, mas por aqui tambem existem varias galerias por baixo de cidade nunca exploradas...E para quem gosta de explorar, lembro-me que ha 4 anos atras começaram uma exploração no qual a pedra da frente da entrada do forte uma imensa pedra que pode medir creca de 30 metros por 4 de altura, aperceberam-se que uma das faixas estava semi-oca,isto quer dizer que foi selada, mas quando se preparavam para mover, uma ordem do GOVERNO mandou abandonar toda a actividade naquela zona,e cavalheiros nunca antes vistos com um pin de uma imagem da ordem dos templarios posto nos seus fatos, estavam dando ordens a GNR que por sua autoria executava sem hesitar..Isto levou que falar bastante tempo na cidade, poucos meses depois um grupo de adolescentes descubrio uma nova galeria que unia o castelo ate ao rio guadiana em que se desconfia que leve ate espanha passando esta debasixo do rio como um meio de fuga.
Pode ser estranho ouvir isto,parece saido de um filme, mas a realidade é esta, desde ai todas as visitas tanto no castelo como no forte são supervisionadas por membros do governo.
Explicações??? Eu tambem não as tenho...
Um abraço Dono

Lusitano disse...

VBoa Tarde a todos tenho sido um mero expectante no vosso blog, simplesmente porque de passagem se fez sobressair o titulo templarios, desde então começei a ler mais sobre esta ordem e vejo-me agora de tal forma curioso que formulei tantas teorios como duvidas, pelo que gostaria de esclarecer, por enquanto, apenas esta.
Apos uma leitura abrangente em muitos blogs vi varios excertos que mencionavam a fuga dos templários no dia 12 de outubro para o oriente e não para o ocidente.
Noutros excertos tive a oportunidade de ler que a frota tempalria se dirigiu para portugal exactamente na mesma altura D. Dinis nomeara o primeiro almirante portugues , ( de notar que na altura portugal nao possuia frota)
Havera alguma veracidade nestas afirmaçoes tao contraditorias mas no entanto tao importantes??

invisible disse...

A cerca de "Os especialistas recorreram ao Instituto de Geofísica e, graças aos métodos da geoelectricidade e do georradar, poderiam detectar as cavidades subterrâneas até 40 metros de profundidade, sem efectuar aberturas, sem tocar em nada e sem danificar nada. Mas o Ministério da Cultura português proibiu a pesquisas."

Por acaso a alguem que conhece a fonte original deste assunto? Ja tentei falar com varios institutos a cerca destas pesquisas, mas ninguem diz nada, nem a diretora to Convento de Cristo.