Contacte-nos através do nosso email:
cethomar@hotmail.com

5/29/2007

Festa dos Tabuleiros 2007


Não é que se fossem esqueçer... mas fica sempre bem lembrar ~;o) e não há desculpas para faltar!!!

Deixo vos o programa:

Dia 1 de Julho
Cortejo dos Rapazes pelas 10 horas

Dia 6 de Julho
Cortejo do Mordomo pelas 18 horas
Inauguração das ruas populares ornamentadas pelas 20h30

Dia 7 de Julho
Cortejos Parciais dos Tabuleiros pelas 10 horas
Cortejo e Final dos Jogos Populares pelas 14h30

Dia 8 de Julho
Cortejo dos Tabuleiros pelas 16 horas

Dia 9 de Julho
Distribuição da Pêza pelas 10 horas

Mais informações: www.tabuleiros.org


E esta!? uma torre Eiffel numa festa dos Tabuleiros, so podia ser em 1914, esses tempos já la vão... Tomar já não tem nada a ver...

Abraços

13 comentários:

Caiano Silvestre disse...

Pois!

"Esqueçer" é que não está com nada.

Anónimo disse...

Bravo belo postal esse da torre eiffel.
A torre esta lá pois foi neste ano 1914 que foi a exposição universal de Paris.

Manuel

Anónimo disse...

Peço desculpa mas o ano da exposição foi 19oo.
Mas ficou em tomar ersta replica até 1915.

Manuel

Anónimo disse...

Salut

L´exposition universelle fût celle de 1889 pour commemorer les 100 ans de la révolution française.

Vive Tomar, Vive la capitale

a bientot


sauvignon.temple@hotmail.com

dervich disse...

Foi na exposição de 1889 que foi inaugurada a Torre Eiffel mas, no ano de 1900, existiu outra exposição que deixou, entre outros os Grand e Petit Palais, Ponte Alexandre III, etc.

Qual será a origem da figura da torre em tomar, sabendo que Paris foi uma sede templária?

Anónimo disse...

Não me digam agora que a torre também tem haver com o tesouro templário!!
Tá no cimo da torre o graal!!
A ponta da torre faz de antena como as piramides para falar com os E.T..
Eles andam ai!

E.T.

Anónimo disse...

DEGRACONIS

A GRAVURA
(tentativa de conclusão)

A referência que o artigo fazia à semelhança entre a igreja da Graça e a de St. Maria dos Olivais ditava por certo uma ida a Santarém para averiguações com o intuito de:

1) Já que a igreja de St. Maria tinha sofrido remodelações profundas e a outra não, seria uma oportunidade de imaginar como seria a primeira antes da reforma do Frei António de Lisboa. Apesar de serem datadas de séculos diferentes, a tipologia e o estilo arquitectónico era a mesmo, ao que se soma o facto de ambAs ter servido de panteão em grande escala. A da Graça ainda conserva muitos desses majestosos mausoléus ou túmulos.

2) A igreja da Graça, por indicação da gravura exposta, que hoje sei retirada dos arquivos da DGEMN, aponta claramente a existência de uma cripta, que curiosamente se situa numa posição semelhante à suposta entrada para a cripta da de St. Maria (se bem que uma do lado esquerdo e outra do direito, mas ambas no transepcto e perto dos absídiolos).

Quem sabe a entrada para cripta na da Graça não tinha semelhante pedra como a de Tomar. Nada prova mas podia corroborar a possibilidade da uma cripta em St. Maria.

Na igreja da Graça; possui esta alguns imponentes túmulos e mausoléus, assim como uma quantidade considerável de pedras lapidares jacentes (no chão), mas nenhuma, nem indicação qualquer no local que a gravura apontava como entrada para a cripta.

Dirigiram-se os nossos companheiros à guia (ou guarda) do local, que não soube dar qualquer indicação sobre o assunto. Após mostrar a gravura à guarda (era uma mulher) logo esta ligou para outra colega a dar notícia de tão estranha gravura. A outra colega estava na casa-museu a 25 metros dali, que num instante compareceu junto a nós para partilhar o momento. A confusão estava montada.

Nunca tinham sido informadas de tal cripta na igreja, e o facto de a gravura que possuíamos ser visível em dois livros da história da arte em Portugal, afiançava a veracidade da gravura. Para vossa informação, a gravura surge no livro “A arquitectura Gótica Portuguesa” de Pedro Dias e no livro “Páginas de História da Arte” de Jorge Henriques Pais da Silva, que julgo retirada do arquivo da DGEMN, não fazendo no entanto, nenhum destes livros nem o site desta última referência à existência da cripta.

O espaço aqui é curto e como tal vou já passar às conclusões, obrigando-me a cortar algumas cenas desta novela.

Conseguimos identificar a entrada para essa cripta, apesar de não haver indicações no chão, limita-se essa a umas pedras dispostas de uma forma que não deixa margens para dúvida ser o acesso à escadaria apontada na gravura. Trata-se de uma cripta com aproximadamente 3,5 mts de largura e 2 mts de altura, constituído a última morada de Gil Eanes da Costa, do qual podemos ver o Carneiro e lápide emparedada numa das paredes da igreja junto a esse local.

Este tipo de cripta não é de todo estranha às igrejas dessa época, mas verifica-se que a sua existência nem sempre é conhecida por todos, não por constituir segredo, mas porque à falta de indicações, escritas ou orais, não se tem conhecimento de tal. Desta apenas o soubemos porque encontrámos uma gravura que dava conta da sua existência, porque pelos vistos nem os naturais de Santarém presumiam a sua existência. Hoje conhecem. Não me vou alongar, pelo que vamos deixar os leitores retirar ilações sobre
esta história.

Nota de rodapé: O declive que se verifica na igreja permitiu a construção da cripta sem problemas de maior. Averiguando a igreja do lado de fora é possível perceber a localização da cripta. À semelhança da igreja de St. Maria, também se tem que descer uma série de degraus para aceder ao chão da igreja, contudo não apresenta a igreja de St. Maria declive igual que permitisse a construção de uma cripta com a facilidade com que se deve ter construído a da Graça. A igreja de St. Maria está “enterrada” porque Gualdim Pais pretendeu alcançar o chão sagrado do anterior templo beneditino, onde eventualmente estariam os túmulos ou pedras lapidares dos monges de traje negro. Os quinhentos anos de diferença devem ter soterrado essa primitiva igreja, aliás como voltou acontecer, porque ainda à 100 anos estava St. Maria quase engolida pelas terras circundantes. O facto de a pedra de St. Maria não ter sido deslocada aquando das obras de restauro da DGEMN nos anos quarenta, pode abrir uma pista para a investigação do mistério da cripta de St. Maria ( mas sobre isso num outro comentário meu aquando de algumas considerações sobre o texto que transcrevi retirado do boletim da câmara de tomar).

515 – 151

Anónimo disse...

Senhor Degraconis,o que o faz passar-se por Deus omnipresente (515)e por (151)o dia de descanso do senhor,já agora ponha o 18 ,deve de saber de que estou a falar.11+7=18 ,rectângulo de Portugal.

C.C.

Anónimo disse...

DGR
Sei do que fala. No coments.
( e nesse rectangulo tomar está.. julgo que sabe do que falo).

515+151 = ? ( se ler Dante entende que esses dois números estão relacionados com o números de versos que separam diversas profecias na D.C ). Mas não é este blog, espaço para estender-me sobre o assunto.

515 151 666 888 34 17 3 etc.. apenas são assinaturas simbólicas.

III V

Luis de Matos disse...

Caro(a?) C.C. [já não me fio!]

Se me permite, 515, 151, 18 assim como qualquer outro número não são "Deus Omnipresente" ou "Dia do Descanso do Senhor" ou nada mais do que simples algarismos.

Quando estudamos numerologia ou a ciência tradicional de que a numerologia actual é uma super-simplificação - a Kabalah - uma das primeiras lições ou fases do estudo é esvaziar os números, ou letras, ou palavras de qualquer significado transcendente. Pode parecer um paradoxo (e é por ser paradoxo que é um ponto essencial), mas enquanto olharmos o 3 e virmos a Trindade não temos a menor hipótese de poder estudar o que significa o 3 sem estarmos absolutamente condicionados pela nossa formação pessoal anterior ao estudo da Kabalah. O 3 é apenas o terceiro número natural. Nada mais. Tudo o resto é aportado pela nossa mente. Com os matizes próprios da nossa experiência e cultura.

O que atribui poder e significado aos números (e aos simbolos, como o rectângulo de Portugal que refere) é aquilo que eles fazem convocar dentro de nós (o que é uma larga discussão). Para mim, para o Degraconis e outros, 515 instantâneamente está ligado a Dante. Mas para muitos outros é o ticket da fila para comprar fiambre. Ambos estão correctos. O que é essencial para a saúde mental de quem quer seguir essa via de estudo, é que o ticket para o fiambre não se transforme no Paracleto cifrado! Isso do 18 ser 17+1 é um sintoma disto que refiro. Até porque o 18 não é mais do que o 9 + 9 (9 Cavaleiros do Templo, está a ver?...)

Agora a sério, tenho visto demasiadas pessoas para quem todos os números significam um 'ror de coisas e, ao não terem passado pela tal fase de paradoxo, acabam por não significar coisa nenhuma. Sempre que mudam de parâmetros culturais ou simbólicos (ou sempre que lêem mais um livro), acabam por mudar todos os significados para todos os números e simbolos que conheciam. A certa altura já vemos significado oculto em tudo!

Nunca mais me esqueço de um talão de jantar da Portugália que eu tinha no meu bolso e que um amigo viu. Ficou surpreendido ao notar que estava escrito no talão pela máquina registadora do restaurante, literalmente, "Ar de Maris", o que levantou na sua mente fértil mil imagens em que eu jantava com um misterioso Mestre de uma Ordem secretíssima, o que acabou por ficar plasmado nessa enigmática mensagem. Além do mais na Portugália (Portus+Graal)! Que decepção quando lhe disse que "Ar de Maris" era a abreviatura que a máquina tinha feito para... Arroz de Marisco...

Não há nada mais poderoso que a mente humana.

Luis de Matos

Anónimo disse...

DEGRACONIS

Adorei essa do Arroz de Marisco :)

Tavares disse...

Deliciosa essa mesmo, de vez em quando lá parece um artista da filosofia, com os comentários em busca do que nada acham.

Bárbara Godinho disse...

Há referências bibliográficas que justifiquem efectivamente o ano da construção e a estada dessa Torre em Tomar?