Contacte-nos através do nosso email:
cethomar@hotmail.com

12/27/2006

Questão 2 - Quem foi D. Gualdim Paes?

Eis outra boa pergunta...
Concerteza um guerreiro sabio... mas.. será que está mesmo sepultado no Templo de Sta Maria do Olival?
Terá sido um mero Mestre Templario ou Grão Mestre Templario?
Terá nascido mesmo em Amares em 1118?
Terá ele reconstruido o Castelo de Ceras? Quando como recompensa pelo apoio dos Templários na conquista de Santarém (em 1147), D. Afonso Henriques doaria a, Gualdim Pais, no ano de 1959, o Castelo de Cera (actual Ceras).
Surge sempre a duvida e o incerto... mas....
Gostaria que nos dessem a vossa opinião.

Deixo-vos aqui um texto que fala do D. Gualdim Pais,para puder mos confrontar algumas ideias, este texto foi retirado duma pagina na Internet:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gualdim_Pais

Gualdim Pais (Amares, 1118 - Tomar, 1195), cruzado português, Freire Templário e Cavaleiro de D. Afonso Henriques (1128-1185), foi o fundador da cidade de Tomar.
Filho de
Paio Ramires e de Gontrode Soares, combateu ao lado de D. Afonso Henriques contra os mouros, vindo a ser ordenado Cavaleiro pelo soberano no campo de Ourique (1139).
Partiu depois para a
Palestina, onde militou durante 5 anos como Cavaleiro da Ordem dos Templários, tendo participado do cerco à cidade de Gaza.
Ao retornar, foi ordenado como quarto Grão-Mestre da Ordem em Portugal (
1157), então sediada em Braga. Fundou, nessa capacidade, o Castelo de Tomar e o Convento de Cristo (1160), que se tornou o Quartel-General dos Templários no país, dando foral à nova vila no ano de 1162.
Também fundou o
Castelo de Almourol, o da Idanha, o de Ceres, o de Monsanto e o de Pombal. Deu foral a Pombal em 1174.
Cercado em
1190 em Tomar pelas forças Almoádas sob o comando do califa Abu Yusuf Ya'qub al-Mansur, conseguiu defender o Castelo contra esse efetivo numéricamente superior, detendo assim a invasão do norte do Reino por esta parte.
Faleceu em Tomar no ano de 1195, e ali se encontra sepultado, na
Igreja de Santa Maria do Olival.

3 comentários:

Anónimo disse...

Antes de mais parabens,pelo blog,pois tanto falam do que sè conhece como daquilo que não sè conhece.Quanto a serem 8 ou 9 fundadores,podem ter a certeza que a verdade não vem em livro algum.Quanto a cidade de tomar ser capital espiritual da ordem è verdade,ainda hoje è a sua sede.Quanto a D.gualdim paes muito à a dizer,foi uma pessoa tão especial,que nenhum ser humano hoje en dia o pode entender,o dizer que era apenas un mero mestre è falta de conhecimento da verdade ,pois o que sé escreve nos documentos de hà 5oo anos pra cà ,è tudo uma fraude feita pela igreja,maçonaria,e organizações ditas templàrias.Pois a ordem è interna e não se manifesta.Bem continuen a defender tomar e os templàrios,pois a verdade esta a nossa frente e nos nem a vemos o não cremos ver,ou não deixam ver.(assinado por un homem que ama o seu paìs,a sua terra e a ordem templÀria)

DEGRACONIS disse...

De facto existe desacordo entre os historiadores quanto aos nomes dos cavaleiros fundadores da ordem. A tradição diz que esta irmandade de início contava com nove membros mas a tradição não diz o nome desse nono.

Dos nomes que dei à estampa no blog, o nome duvidoso e no qual existe desacordo é o de um tal Godefroy, ao qual não acrescentei o apelido por não se conhecer, e mesmo dos sete iniciais alguns são incertos. Da vida de alguns não se conhece praticamente nada a não ser o nome. Do Hugues de Payens ainda se conhece alguma da sua biografia.

Relativamente a Gualdim Pães dizer que a história apenas o encara como “um mero mestre” ou que a Maçonaria e Igreja deturparam a sua imagem, efectivamente não se coaduna com a real imagem que a história, pelo menos portuguesa, tem de tal figura. Não existe livro de história de Portugal que não se refira a Tomar e a tal vulto, imprimindo-lhe as maiores honras, de tal forma que não existe português de cultura mediana que não o conheça. Na verdade é o único a quem se fez as devidas honras.

Portanto o Sr. Pães que não seja injusto com o povo português. (nem com a igreja nem com a Maçonaria, que alias só se veria engrandecida pela exaltação de tal personagem ).

Porém se o Sr. Pães se quer referir ao Gualdim Pães como alta individualidade de uma confraria secreta, seja esta o priorado de Sion, Rosacruciana ou mesmo Agarthina, é evidente que estejamos aquém da justiça que lhe quer fazer. E não queira fazer da humanidade e dos portuguêses em particular, “estúpidos”, pelo simples facto de não vermos essa verdade que está à frente de toda a gente. Alias, atrás, porque certamente é secreta, e a cumprir o seu secretismo não será de todo conhecida da humanidade. Não queira V. Exa que o povo português acredite cegamente em tais verdades supremas e ocultas de forma leviana. Já nos chegou termos sido um povo em que metade esperava um Messias e a outra metade um rei que já tinha morrido à 200 anos, pois era desta forma que éramos conhecidos pelo mundo fora no Sec. XVIII.

Atenda-se no entanto que sou um adepto do sebastianismo e de toda a mítica ou misticismo português, mas já não um “louco de Deus”. Esclarecimentos sobre tal fica para outras núpcias (alquímicas).

Quero também deixar aqui testemunho do meu contentamento em ver que as participações no blog aumentaram, quer com o comentário do Pães que impulsiona-nos na busca das verdades espirituais e históricas, quer com os outros.

Ainda antes de despedir-me, a minha indignação com a afirmação de Tomar ser ainda hoje a capital espiritual da ordem. Poderemos ser mais um pouco esclarecidos? O número de organizações ditas templárias, hoje conhecidas como inseridas no neo-templarismo são às centenas, e todas elas se proclamam herdeiras dos templários. Falamos de mais uma?

515

arraiolos disse...

do meu ponto de vista não restam duvidas que a cidade de Tomar é a capital dos Templarios, pelo menos a capital portuguesa, porque a existir uma capital, essa seria sem duvida Jerusalem. Ao contrario de outras cidades a cidade de Tomar tem a particularidade de ser a ultima cidade a ser "fundada" na historia dos Templarios. Quanto a gualdim Pais tenho as minhas duvidas quanto a designação de grão-mestre. na minha opnião terá sido um cavaleiro eximio o que lhe tera grangeado grande louvores. contudo apenas tera sido mestra territorial de Portugal.